top of page

Motorista de Aplicativo é Preso Suspeito de Espancar Companheira por 6 Horas em Motel em Teresina


Reprodução/Internet


Um motorista de aplicativo, identificado pelas iniciais F.P.V, de 30 anos, foi preso nesta sexta-feira (17), suspeito de tentativa de feminicídio na Zona Sul de Teresina. De acordo com a delegada Nathália Figueiredo, do DHPP, o homem espancou a companheira por cerca de 6 horas em um quarto de motel no bairro Macaúba.

De acordo com a delegada, apesar dos gritos, ninguém acionou a polícia. Mais tarde, no hospital, mesmo com o rosto da mulher desfigurado, a polícia não efetuou a prisão em flagrante. O reconhecimento facial do celular da vítima não funcionou devido ao nível de desfiguração após as agressões.

O crime ocorreu no sábado passado (11) e foi denunciado na segunda-feira (13) pela família da vítima. "Ela saiu com o namorado para um aniversário na noite anterior, sexta (10). Eles se desentenderam e ela foi embora sozinha de madrugada", contou a delegada. Nathália Figueiredo relatou que a vítima foi para um posto, onde ficou bebendo sozinha até receber uma ligação do namorado, pedindo que voltasse porque ele estava com o filho dela.

Quando a vítima chegou ao condomínio onde mora, o companheiro a esperava na porta e a recebeu com um soco, conforme mostram imagens obtidas pela polícia. Em seguida, o agressor entrou no veículo em que a vítima estava, assumiu o controle da direção e saiu com ela.

O casal deu entrada no motel por volta das 8h. A delegada afirmou que a vítima ficou cerca de seis horas nesse motel, sofrendo agressões e pedindo socorro, sem que a Polícia Militar fosse acionada.

Às 15h, o homem entrou em contato com um familiar pedindo que fosse ao motel para pagar a conta, pois ele não tinha dinheiro e a vítima não tinha acesso ao aplicativo do banco. Quando o parente chegou e viu a situação da vítima, percebeu que ela tinha sido agredida. A vítima relatou que já havia sido agredida antes, e o familiar decidiu levá-la ao hospital.

Ao dar entrada no hospital, a Polícia Militar do Piauí (PMPI) foi acionada. "Quando a polícia militar chegou, o autor ainda estava no hospital e não foi conduzido, mesmo diante das suspeitas de violência e com a vítima desfigurada", afirmou a delegada.


Fonte: G1 Piauí

0 comentário

Comments


bottom of page